Folkcomunicação & sociedades periféricas: cultura, linguagem e comunicação dos excluídos

  • Eliane Mergulhão

Resumo

Este artigo trata de alguns aspectos relevantes da Cultura, da Linguagem e da Comunicação para o âmbito da Folkcomunicação. O objetivo é o de comentar de par com os autores, ora comparando ora aproximando, as abordagens teóricas sobre essas categorias. Autores como Beltrão, Marques de Melo, Trigueiro e outros amparam teoricamente a pesquisa. Busca-se demonstrar que na comunicação dos excluídos, a literatura como linguagem, mediada pela Folkcomunicação, serve à cultura como processo e à comunicação como instrumento de interação social.

Biografia do autor

Eliane Mergulhão

Doutora em Comunicação Social pela UMESP.

Referências

AMADO, Jorge. Discurso de Posse na Academia Brasileira de Letras. In: CURRAN, Marck. J. Jorge Amado e a literatura de cordel. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1981. ARISTÓTELES. Vida e Obra. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1999. BELTRÃO, Luiz. Folkcomunicação: um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de ideias. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001. BELTRÃO, Luiz. Fundamentos científicos da comunicação. Brasília (DF): Coordenada, 1973. DIAS, Eliane Penha Mergulhão. Marcas Folkcomunicacionais na obra literária de Luiz Beltrão. São Paulo: INTERCOM, 2015. DIAS, Eliane Penha Mergulhão. Bruxaria: sincretismo cultural em Luiz Beltrão. Revista Comunicação e Sociedade. Ano 29, n.º 47. Apresentado no evento de comemoração dos dez anos da Cátedra Unesco-Metodista de Comunicação para o Desenvolvimento Regional, UMESP, set/2006. DIAS, Eliane Penha Mergulhão. Discurso, Sociedade e Cognição: intertextos e interdiscursos na representação linguística da monocultura do café no vale do Paraíba. Dissertação de Mestrado em Língua Portuguesa, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2002. LARAIA, R. de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 13.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.
MONTEIRO LOBATO, José Bento. Cidades mortas. São Paulo: Brasiliense, 2001. MARQUES DE MELO. Prefácio a BREGUEZ, S. (Org.). Folkcomunicação: resistência cultural na sociedade globalizada. Belo Horizonte: INTERCON, 2004. RICARDO, Cassiano. Marcha para Oeste: a influência da bandeira na formação social e política do Brasil. 2.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1942, [vol. II]. SAHLINS, Marshal. Cultura e razão prática. Rio de Janeiro: Zahar, 1979. SFEZ, Lucien. A comunicação. Tradução de Marcos Marcionilo. São Paulo: Martins Fontes, 2007. TRIGUEIRO, Osvaldo Meira. Quando a televisão vira outra coisa: as estratégias de apropriação dos mediadores ativistas nas redes de comunicação cotidianas do local. Comunicação apresentada na FOLKCOM, em 12.fev.2005. WEBER, Max Weber. Economía y Sociedad: esbozo de sociología comprensiva. México (DF): Fondo de Cultura Económica, 1964.
Publicado
2017-04-24
Como Citar
MERGULHÃO, Eliane. Folkcomunicação & sociedades periféricas: cultura, linguagem e comunicação dos excluídos. Anais da Conferência Brasileira de Folkcomunicação - Folkcom, [S.l.], n. XVIII, abr. 2017. ISSN 2236-2924. Disponível em: <http://anaisfolkcom.redefolkcom.org/index.php/folkcom/article/view/20>. Acesso em: 23 set. 2017.
Seção
GT 1 - Teorias da Folkcomunicação: Fundamentos e Metodologia