A arte como instrumento de protesto e sobrevivência: uma análise sobre o papel dos artivistas da cidade de Itabaiana-PB

  • Eudo Jansen
  • Severino Alves de Lucena

Resumo

Analisamos o papel dos Artivistas no processo de construção do Desenvolvimento Local na cidade de Itabaiana – PB. Buscamos entender como os processos da cultura popular podem contribuir com esta dinâmica. O método utilizado foi o estudo de caso, analisando as práticas de Jessier Quirino, poeta matuto e Fábio Mozart, poeta e cordelista. Os dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas e anotações das observações. A partir das análises identificamos cinco pontos como essenciais no processo de construção do Desenvolvimento Local: Linguagem, Reconhecimento, Sentimento de Pertença, Memória e Arte na construção do Discurso. Com isso, concluímos que o papel dos Artivistas na construção do Desenvolvimento Local é formar futuros possíveis a partir da mobilização fomentada a partir da sua arte.

Biografia do autor

Eudo Jansen

Mestre em Extensão Rural e Desenvolvimento Local pela Universidade Federal Rural de Pernambuco e Graduado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba. Pesquisador da Rede Folkcom e do Grupo Folkcomunicação e Discursos Organizacionais.

Referências

BAIGORRI, Laura. Recapitulando: modelos de artivismo (1994-2003). UOC, 2003. Disponível em: www.uoc.edu/artnodes/esp/art/baigorri0803/baigorri0803.html. Acesso em: 22 de março de 2015.
BELTRÃO, Luiz. Folkcomunicação: A comunicação dos marginalizados. São Paulo: Cortez, 1980.
BELTRÃO, Luiz. Folkcomunicação: um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de ideias. 3ª ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2014.
BERTOLDO, Leylane de Campos. Turismo Rural na comunidade quilombola de caiana dos crioulos-PB: Análise dos elementos folkcomunicacionais como estratégia para o desenvolvimento local. RIF, Ponta Grossa/ PR Volume 13, Número 28, p.77-93, abril 2015.
BORDIN, Vanessa Benites. O jogo do bufão como ferramenta para o artivista. 2013. 115 fl. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013.
CHAIA, Miguel. Artivismo – Política e Arte Hoje. Revista Aurora, São Paulo, ano 1, 2007.
COLEMAN, James S. Capital Social y creación de capital humano. In: HERREROS, Francisco; FRANCISCO, Andrés de (Comps.). Capital Social. Zona Abierta, 2001.
DE JESUS, Paulo. Sobre Desenvolvimento Local e Sustentável: algumas considerações conceituais e suas implicações em projetos de pesquisa. In: MACIEL FILHO, Adalberto Rego; PEDROSA, Ivo Vasconcelos; ASSUNÇÃO, Luiz Marcio de Oliveira (Org.). Gestão do Desenvolvimento Local Sustentável. Recife: EDUPE, 2007.
FRANCO, Augusto de. Porque precisamos de desenvolvimento local integrado e sustentável. 2ª Ed. Brasília: Instituto de Política, 2000.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 2010.
MIGUEZ, Paulo. A convenção da Unesco sobre Diversidade Cultural. In: LOPES, Antônio Herculano; CALABRE, Lia (Org.). Diversidade Cultural Brasileira. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2005.
XVIII Conferência Brasileira de Folkcomunicação
Recife-PE, 02 a 05 de maio de 2017 – UFRPE/FACIPE
PUTNAM, Roberto D. La comunidade próspera. El capital social y la vida pública. In: HERREROS, Francisco; FRANCISCO, Andrés de (Comps.). Capital Social. Zona Abierta, 2001.
QUIRINO, Jessier. Paisagem de Interior. Recife: Bagaço, 1996.
SCHMIDT, Cristina. Artesanato: mídia popular e o lembrar comunitário. Anuário Unesco/Metodista de Comunicação Regional, Ano 15 n.15, p. 121-128 jan/dez. 2011.
SEN, Amartya. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Cia das Letras, 2010.
Publicado
2017-04-26
Como Citar
JANSEN, Eudo; LUCENA, Severino Alves de. A arte como instrumento de protesto e sobrevivência: uma análise sobre o papel dos artivistas da cidade de Itabaiana-PB. Anais da Conferência Brasileira de Folkcomunicação - Folkcom, [S.l.], n. XVIII, abr. 2017. ISSN 2236-2924. Disponível em: <http://anaisfolkcom.redefolkcom.org/index.php/folkcom/article/view/4>. Acesso em: 18 nov. 2017.
Seção
GT 4 - Folkcomunicação e Desenvolvimento Local