Eventos como meio de consumo: uma análise histórica – sociocultural e econômica dos banquetes as casas de eventos

  • Iêda Litwak de Andrade Cézar
  • Joseana Maria Saraiva
  • José Alberto de Castro

Resumo

Os estudos sistematizados sobre a historiografia dos banquetes as casas de eventos vêm despertando o interesse de muitos analistas ao longo da história. A diversidade de apreciações é antes de tudo resultado da dinâmica da construção destes fenômenos em épocas remotas quando o homem começou a conviver em grupo, a coletar e preparar alimentos para sua subsistência como consequência das mudanças dos hábitos de consumo de alimentos no contexto social, econômico, político e cultural. Não se constitui, portanto, os banquetes e as casas de eventos fenômenos da contemporaneidade como mostram uma diversidade de estudos, pelo contrário, nas sociedades de consumo pré-capitalistas e antigas já se verificava estes fenômenos pela necessidade de se comunicar, de se integrar e partilhar acontecimentos. Utilizou-se o enfoque qualitativo, privilegiando a abordagem teórica exploratória que tem como finalidade esclarecer ideias, inter-relações e evolução conceituais. Os resultados mostram as múltiplas relações que se estabelecem ao longo do processo da historiografia dos banquetes a casas de eventos e o processo de comunicação associado à ideia de participação e comunhão.

Biografia do Autor

Iêda Litwak de Andrade Cézar

Mestre Extensão Rural e Desenvolvimento Local/POSMEX, Bacharel e Licenciada Economista Doméstica. Profa. Núcleo de Educação a Distância/CODAI e PRONATEC/CODAI/UFRPE, Brasil.

Joseana Maria Saraiva

Doutora em Serviço Social, Professora do Programa de Pós Graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social, Departamento Ciências Domésticas, UFRPE, Brasil, 

José Alberto de Castro

Mestrando do Programa de Pós-Graduação Extensão Rural e Desenvolvimento Local/POSMEX/UFRPE, Bacharel em Turismo. Prof. PRONATEC/CODAI/UFRPE, Brasil.

Referências

ANDRADE CEZAR, Iêda Litwak. Cultura Gastronômica e Folkcomunicação: a culinária dos festejos juninos do Alto do Moura no Município de Caruaru – Pernambuco. Dissertação de mestrado - POSMEX/UFRPE, 2013.
AVIGHI, C. M. Turismo e Comunicação: estudo do turismo na história da comunicação do século XIX. Revista Turismo em Análise, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 22-23, nov. 1992.
BAKHTIN, M. A cultura popular na idade média e no renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec; Brasília: Ed. da UNB, 1993. 419p.
BOLAFFI, G. A saga da comida. 1 ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.
BONA, Fabiano Dalla. À moda da elite – Dos ingredientes raros às boas maneiras para comer, classes abastadas impõe padrões à cozinha de toda sociedade. Rev. Hist. Biblioteca Nacional – Alimentação - Dossiê Comida e modos de comer, Ano 10, n.115, abr, 2015. p.18-22.
BOURDIERU, J. E. D. O que é comunicação. São Paulo: Brasiliense, 1979. (Coleção Primeiros Passos).
CRESWELL, Jonh W. Projeto de Pesquisa – Métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2ª edição. São Paulo: Artmed Editora S.A., 2007.
FLADRIN, Jean-Louis; MONTANARI, Massimo. História da Alimentação. Cap.2 A função social do banquete nas primeiras civilizações. Tradução de Luciano Vieira Machado;
XVIII Conferência Brasileira de Folkcomunicação
Recife-PE, 02 a 05 de maio de 2017 – UFRPE/FACIPE
Guilherme João de Freitas Teixeira. Historie da l’alimentation. 8ª Ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2015. 888p.
FREIXA, D.; CHAVES, G. Gastronomia no Brasil e no mundo. 2. Ed. 2. Reimpr. Rio de Janeiro: Editora SENAC, 2012. 304 p.
GONÇALVES, Carmem Lucia Alves. Organização de eventos com arte e Profissionalismo. Fortaleza: SEBRAE/CE, 1998.
HAVILAND, W. A. et.al. Princípios de Antropologia, São Paulo, Cengage Learning, 2011. 473p.
LE GOFF, Jaques. Homens e Mulheres da Idade Média. Editora Estação Liberdade, 2014. 447p.
LEMOS S. Sandrolemosfotografo.blogspot. 2015. Site: http://sandrolemosfotografo. blogspot.com.br/2013/05/250513-buffet-leblanc-villa-ponte-duchoa.htm. Acesso: 15 de maio de 2016.
LIMA, Claudia. Tachos e Panelas. Historiografia da alimentação brasileira. 3ª edição. Recife: Raízes Brasileiras, 2009. 311p.
LOPES, J. J. A Ilíada e a Odisseia: dois Pilares da Civilização Grega e Legado para a Posteridade. Revista Memento V.4, n.1, jan.-jun. 2013.
MACIEL, M. E. Cultura e alimentação, ou o que têm a ver os macaquinhos de Koshima com Brillat-Savarin? Horizontes Antropológicos, n. 16, 2002.
____________; Sergio Alves Teixeira (Org.). Comida: horizontes antropológicos. 4. Ed. Porto Alegre: PPGAS/UFRGS, 1996 a. 160 p.
MARTINS, Maria Cristina Marreiros Cabaço. INFLUÊNCIA DOS PATROCÍNIOS DE EVENTOS NA INTENÇÃO DE COMPRA: O Caso da Super Bock nos Festivais de Música. (Dissertação) Mestrado em Turismo; Especialização em Gestão Estratégica de Eventos Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, 2013. 110p.
OLIVEIRA, G. A. (2010). Meeting Points: Eventos como Estratégia de Comunicação e Marketing. Acesso em 9 de maio de 2016, de Intercom - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação: http://www.centrinho.usp.br/anuncio_ftp /comu_espec/aula3/eventos.pdf.
ORNELAS, Lieselotte Hoeschl. Alimentação através dos tempos. 4 ed. – Florianópolis: Ed. Da EFSC, 2012. 304p.
POULAIN, Jean-Pierre. Entering “social food space”: sociologies of food -; tradução de Rosana Pacheco da Costa Proença, Carmen Sílvia Rial e Jaimir Conte. Sociologias da alimentação: os comedores e o espaço social alimentar; Ver. Dementria. 2ª ed., Florianópolis: Editora da UFSC, 2013. 285p.
SEBRAE. Food Truck – modelo de negócio e sua regulamentação. http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ ARQUIVOS_CHRONUS/ bds/bds.nsf/32748b6a9b2d815bb459a3574ca39872/$File/5335a.pdf Acesso em 16/03/2017.
SILVA FILHO, Antonio Romão A. da. Manual Básico para Planejamento e Projeto de Restaurantes e Cozinhas Industriais. Livraria Varela, São Paulo, 1996.
STRONG, Roy C. Banquete: uma história ilustrada da culinária, dos costumes e da fartura à mesa. Ed. Zahar, 2004. 299p.
SPANG, Rebecca L. A Invenção do restaurante: Paris e a moderna cultura gastronômica. Rio de Janeiro. Record, 2003. p, 391.
WOORTMANN, K. Hábitos e ideologias alimentares em grupos sociais de baixa renda: relatório final. Brasília: UnB, 1978. (Série Antropologia –20).
WOORTMAN, K. Hábitos e tabus alimentares em populações de baixa renda. Brasília: Universidade de Brasília, 1978. Documento.
Publicado
2017-04-18
Como Citar
CÉZAR, Iêda Litwak de Andrade; SARAIVA, Joseana Maria; CASTRO, José Alberto de. Eventos como meio de consumo: uma análise histórica – sociocultural e econômica dos banquetes as casas de eventos. Anais da Conferência Brasileira de Folkcomunicação - Folkcom, [S.l.], n. XVIII, abr. 2017. ISSN 2236-2924. Disponível em: <http://anaisfolkcom.redefolkcom.org/index.php/folkcom/article/view/43>. Acesso em: 23 nov. 2017.