Inclusão social: os desafios da cultura organizacional inclusiva para o profissional de Relações Públicas

  • Dayane Almeida

Resumo

Nos últimos 30 anos, o segmento da pessoa com deficiência no Brasil tem vivido seu melhor momento. As conquistas na legislação, como a Constituição Federal de 1988 e a Lei de Cotas (8213/91), transformaram a atuação desses cidadãos e sua visão sobre si mesmos. Inúmeros direitos foram conquistados e o acesso ao trabalho é um deles. Considerando as transformações que as organizações estão passando com a inserção de um público interno cada vez mais diversificado, este artigo promove uma reflexão acerca de como o profissional de relações públicas pode contribuir para a construção de uma cultura organizacional inclusiva.

Biografia do autor

Dayane Almeida

Graduada em Comunicação Social com Habilitação em Relações Públicas pela Universidade Federal da
Paraíba (UFPB). 

Referências

ALLAIRE, Yvan; FIRSIROTU, Mihaela. Organization Studies, Montreal: Egos, 1984.
ALVES, M.A.; GALEÃO-SILVA, L. G. A crítica da gestão da diversidade nas organizações. Revista de Administração de Empresas, 44: 2004 p. 20-29.
CARVALHO, Freitas, M.N.; MARQUES, A.L (Org.). Trabalho e pessoas com deficiência: pesquisas, práticas e instrumentos de diagnóstico. Curitiba: Juruá, 2008a, p. 55-70.
CAVALCANTE, Ricardo Caribé. Comunicação Organizacional: uma abordagem a partir do Interacionismo simbólico. In: Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração. Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.
CHIAVENATO, I. Gerenciando Pessoas. 3.ed. São Paulo: Makron Books, 1994.
CONFORTO, Débora e SANTAROSA, Lucila M. C. Acessibilidade à Web: Internet para Todos. Revista de Informática na Educação: Teoria, Prática PGIE/UFRGS.2002 (no prelo).
DRUCKER, Peter. Sociedade pós-capitalista. 6a ed. São Paulo: Pioneira, 1997.
DUARTE, Jorge (Org.). Assessoria de imprensa e relacionamento com a imprensa: teoria e técnica. São Paulo:Atlas, 2002.
FARIAS, Luiz Alberto de. Relações Públicas Estratégicas. São Paulo: Summus Editorial, 2011.
FERRARI, Maria Aparecida. Teorias e estratégias de relações públicas. In: KUNSCH, Margarida M. K. (Org.). Gestão estratégica em comunicação organizacional e relações públicas. São Caetano do Sul, SP: Difusão, 2008.
FERRARO, Gary. The Cultural Dimension of International Business , NJ, Prentice Hall, 1994;
FLEURY, Maria Tereza; FISCHER, Rosa Maria. Cultura e poder nas organizações. São Paulo: Atlas, 1989.
GEERTZ, Clifford, A Interpretação das Culturas, Rio de Janeiro, LTC Editora, 1989.
GOODENOUGH, Ward Hunt. Cultural antropology and linguistics, in Report of the seventh annual round table meeting on linguistics and language study. Washington D. C.:P.Garvin, 1957;
GRUNIG, James. Definição e posicionamento das Relações Públicas. In: GRUNIG, James E.; FERRARI, Maria Aparecida; FRANÇA, Fábio. Relações Públicas: teoria, contexto e relacionamentos. São Caetano do Sul, SP: Difusão Editora, 2011.
HALL, Richard. Organizações: estruturas e processos. 3.ed.Rio de Janeiro: Prentice Hall, 2004.
KUNSCH, Margarida M.K. Relações Públicas e Moderinidade: novos paradigmas na comunicação organiacional. São Paulo: Summus, 1997.
_____Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. 5º edição. São Paulo. Editora Summus. 2003.
_____A comunicação como fator de humanização nas organizações. 1º edição. São Caetano do Sul. Editora Difusão. 2010.
LATTIMORE, Dan, et al. Relações públicas – profissão e prática. 3º edição. São Paulo. Editora Penso. 2012.
MECCHI, Cassiano Luiz. Diversidade sexual e políticas de gestão de pessoas: um estudo exploratório em três empresas de grande porte. Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: . Acesso em novembro de 2016.
MARCHIORI, Marlene. Cultura e comunicação organizacional: um olhar estratégico sobre a organização. 2 ed. São Caetano: Difusão Editora, 2008.
MINTZBERG, H. et al. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre. Bookman, 2000.
SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: Construindo uma sociedade para todos. 7. ed. Rio de Janeiro: WVA, 2006.
SILVA, O. M. (1993). Uma questão de competência. São Paulo: Memnon.
STOER, Sthephen R. Os lugares da Exclusão social: Um dispositivo de diferenciação pedagógica. São Paulo. Cortez Editora, 2004.
TYLOR, Eduardo Bunett. Primitive Culture, 1871 apud Laraia, Roque B. Cultura: Um Conceito Antropológico, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1992;
WEICK, K. Organizational Culture as a Source of High Reliability. California Management Review, 1985/7.
Publicado
2017-04-18
Como Citar
ALMEIDA, Dayane. Inclusão social: os desafios da cultura organizacional inclusiva para o profissional de Relações Públicas. Anais da Conferência Brasileira de Folkcomunicação - Folkcom, [S.l.], n. XVIII, abr. 2017. ISSN 2236-2924. Disponível em: <http://anaisfolkcom.redefolkcom.org/index.php/folkcom/article/view/55>. Acesso em: 18 nov. 2017.
Seção
GT 5 - Cidadania e sustentabilidade ambiental, social e cultural