O uso da Folkcomunicação para o desenvolvimento local: a Cooperativa Natu Capri como usuária da Folkcomunicação e suas vertentes

  • Laís Carolina da Silva
  • Maurício de Siqueira Silva
  • Stella Gomes de Melo

Resumo

O presente artigo apresenta o uso das ferramentas folkcomunicacionais pela cooperativa Natu Capri que é formada por mulheres que residem no município de Maravilha, estado de Alagoas, a mesma está ativa desde o ano de 2006. Esta cooperativa é vista como uma fonte de renda para algumas famílias e também é uma forma dessas mulheres se firmarem no mercado além de compartilharem com diversos grupos sociais algumas das histórias da cidade, sua cultura, crença e tradições, abordando nesse contexto como o uso da comunicação popular, a folkcomunicação, pela cooperativa trará desenvolvimento local.

Biografia do Autor

Laís Carolina da Silva

Estudante do Curso de graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Alagoas-Campus Sertão.

Stella Gomes de Melo

Estudante do Curso de Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Alagoas- Campus Sertão.

Referências

AMPHILO RODRIGUES, M. Isabel. Círio de Nazaré: a mídia em prol do desenvolvimento regional. III Congresso Ibérico de Comunicación, Comunicación Desarrillo Cultural em La Península Ibérica. Universidade de Sevilla, Sevilla, 2006.
AMPHILO RODRIGUES, M. Isabel. Tese (Doutorado). Folkcomunicação: gênese, desenvolvimento e difusão. Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). São Paulo, 2010.
BELTRÃO, Luiz. Folkcomunicação: a comunicação dos marginalizados. São Paulo: Cortez, 1980.
BELTRÃO, Luiz - Folkcomunicação: um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de ideias – Porto Alegre : EDIPUCRS, 2014.
BOCCATO, V. R. C. Metodologia da pesquisa bibliográfica na área odontológica e o artigo científico como forma de comunicação. Rev. Odontol. Univ. Cidade São Paulo, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 265-274, 2006.
Brasil, lei das cooperativas.

GAWLAK, A.; RATZKE, F. Cooperativismo: Primeiras Lições, - 3ª Ed. Brasília: Sescoop, 2007

GONÇALVES, Eduardo Jackson; Histórico Do Movimento Cooperativista Brasileiro E Sua Legislação: Um Enfoque Sobre O Cooperativismo Agropecuário; Sober, 2005.

LUCENA FILHO, Severino Alves de. FESTA JUNINA EM PORTUGAL: marcas culturais no contexto do folkmarketing. Editora UFPB, Paraíba – 2012.

LUCENA FILHO, Severino Alves de. Azulão do BANDEPE: uma estratégia de comunicação organizacional. Recife – PE: CEPE, 1998
LUYTEN, Joseph. Folkcomunicação. In: Queiroz e Silva, Roberto P. de. Termos básicos em comunicação. São Paulo: Paulina - INTERCOM, 1983.
MACIEL, B.; PEDROSA, A. P. da Conceição A; SILVA, F. L.; CÉZAR, I. L. A.; SILA, S. G. da; Folkcomunicação e Desenvolvimento Regional: Perspectivas de Um Novo Campo do Saber; Intercom- Recife, PE, 2011.

MORAGAS SPA, Miguel. Teorias de la comunicación. Barcelona: Gustavo Gili, 1981.
MARQUES DE MELO, José; GOBBI, Maria Cristina. Gênese do pensamento comunicacional latino-americano: O protagonismo das instituições pioneiras (Ciespal, Icinform, Ininco). São Bernardo do Campo: UNESP, 2000.
MARQUES DE MELO, J. Uma estratégia das classes subalternas, In: Folkcomunicação: a mídia dos excluídos. Rio de Janeiro: A secretaria, 2007. Prêmio Luiz Beltrão de Ciências da Comunicação 2006 na categoria grupo inovador.
SOUZA, L. R. do Amaral de; GIUDICE, R. Furlan Lo; MENDES, L. A. de Souza; Folkcomunicação E Artesanato: Identificação Do Povo Três-Lagoense; Intercom-Rio de Janeiro, RJ. 2015.  

TAVARES, Jorge Roberto; RAMOS, Ladjane. Assistência técnica e extensão rural: construindo o conhecimento agroecológico. Manaus, 2006.
Publicado
2017-04-26
Como Citar
SILVA, Laís Carolina da; SILVA, Maurício de Siqueira; MELO, Stella Gomes de. O uso da Folkcomunicação para o desenvolvimento local: a Cooperativa Natu Capri como usuária da Folkcomunicação e suas vertentes. Anais da Conferência Brasileira de Folkcomunicação - Folkcom, [S.l.], n. XVIII, abr. 2017. ISSN 2236-2924. Disponível em: <http://anaisfolkcom.redefolkcom.org/index.php/folkcom/article/view/8>. Acesso em: 18 nov. 2017.
Seção
GT 4 - Folkcomunicação e Desenvolvimento Local