'100em1dia Cuiabá’: micropolíticas urbanas, mobilização social e ações para a cidadania

  • Heidy Bello Medina
  • Maria Thereza de Oliveira Azevedo
  • Yuji Gushiken

Resumo

O presente texto constrói uma reflexão sobre como as intervenções e interações desenvolvidas durante o Festival da Cidadania 100em1dia Cuiabá se apresentam como um processo
comunicacional possibilitador da participação cidadã que potencializa a vida para subverter o planejamento urbanístico capitalista enquanto micropolíticas urbanas. Nesse sentido, as ações propostas por voluntários permitem pensar a relação entre folkcomunicação, ativismo político e cultura, ao mesmo tempo em que o trabalho coletivo se institui na memória dos indivíduos como força viva das revoluções moleculares para transformar as problemáticas cidades brasileiras. O ‘100em1DiaCuiabá’, ao colocar a cidade numa rede mundial de debates sobre cidadania, demanda considerar as dinâmicas da comunicação no bojo das práticas culturais na vida contemporânea em sua relação direta com as práticas políticas e a busca pela produção de uma vida mais subjetiva.

Biografia do Autor

Heidy Bello Medina

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Estudos de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de
Mato Grosso (PPGECCO-UFMT/Cuiabá).

Maria Thereza de Oliveira Azevedo

Professora do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de
Mato Grosso (PPGECCO-UFMT/Cuiabá).

Yuji Gushiken

Professor do Programa de Pós-graduação em Estudos de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGECCO-UFMT/Cuiabá).

Referências

BELTRÃO, Luiz. Folkcomunicação: a comunicação dos marginalizados. Cortez Editora, 1980.
CIDADE POSSÍVEL 100EM1DIACUIABÁ. (2016). Disponível em: https://www.facebook.com/groups/410511635823766. Acesso em: 20 de abril, 2016.
GUATTARI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografia do desejo. Rio de Janeiro: Vozes, 1996.
GUIZZO, Iazana. Micropolíticas urbanas: uma aposta na cidade expressiva. 2008. 159 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal Fluminense, Departamento de Psicologia, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia. Rio de Janeiro. 2008.
GUSHIKEN, Yuji. Folkcomunicación: Interpretación de Luiz Beltrão sobre la modernización brasileña. Revista Razón y Palabra, v. 77, p. 2011, 2011.
_______________. Usos midiáticos na constituição de circuitos culturais e comunicacionais populares urbanos. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. E-compós,Brasília, v. 11, n. 1, p. 1-15, 2008.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Cuiabá. [online]. Disponível em: www.cidades.ibge.gov.br. Acesso em: 18 dez. 2016.
PELBART, Peter Pál. Poder sobre a vida, potência da vida. In: Lugar Comum, 17. p. 33-43. (2002). Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2015.
LEITE, Julieta. A ubiqüidade da informação digital no espaço urbano. Logos, 15, n. 2, p. 104-116. (2010). Disponível em: . Acesso em: jul. 2016.
ROLNIK, Suely. (1998). A subjetividade antropofágica. Disponível em: http://www.pucsp.br/nucleodesubjetividade/Textos/SUELY/Subjemobra.pdf. Acesso em: 18 de out. de 2015.
SCHOLZE, Lia. Narrativas de si e a estética da existência. Em Aberto, v. 21, n. 77, p. 61-72. (2007).
TURISMO RURAL MATO GROSSO. A Bacia do Rio Cuiabá é importante na formação do Pantanal Mato-grossense e para outras partes do Brasil e do mundo. 23 de junho de 2011. Disponível em: http://www.turismoruralmt.com/2011/06/bacia-do-rio-cuiaba-e-importante-na.html
Publicado
2017-04-26
Como Citar
MEDINA, Heidy Bello; AZEVEDO, Maria Thereza de Oliveira; GUSHIKEN, Yuji. '100em1dia Cuiabá’: micropolíticas urbanas, mobilização social e ações para a cidadania. Anais da Conferência Brasileira de Folkcomunicação - Folkcom, [S.l.], n. XVIII, abr. 2017. ISSN 2236-2924. Disponível em: <http://anaisfolkcom.redefolkcom.org/index.php/folkcom/article/view/9>. Acesso em: 23 set. 2017.
Seção
GT 4 - Folkcomunicação e Desenvolvimento Local