Inclusão de pessoas com Síndrome de Down no tratamento odontológico

  • Alexsandra Maria Moraes da Silva
  • Júlia Borges de Moura
  • Paloma Ingrid Souza de Oliveira

Resumo

A síndrome de Down, também denominada de mongolismo ou trissomia do cromossomo 21, foi descoberta em 1866, pelo médico inglês John Langdon Down, daí a denominação dessa síndrome. Epidemiologistas têm relacionado essa doença à idade materna avançada. Tal doença acarreta a várias deformidades corpóreas, entre elas a várias anormalidades craniofaciais e dentais. Uma vez que esses pacientes normalmente apresentam incidência lta de agenesia dentária, anormalidade da língua, maloclusão, doença periodontal e, talvez, um menor número de cáries dentárias, tal crianças e adolescentes iram necessitar não só da especialização dos profissionais odontólogos, mas também de meios de comunicações adaptáveis. Alguns podem ter uma maior compreensão da necessidade da higiene bucal por meio de brincadeiras, danças, desenhos, entre outras manifestações culturais próprias de um grupo social. Tendo como perspectiva a prática da integralidade, o objetivo do estudo foi analisar os fatores relacionados a atenção odontológica recebida por crianças e adolescentes com Síndrome de Down, além de procurar meios de comunicação mais usuais pela cultura e expressão popular, eficazes para um melhor entendimento e atendimento do paciente, e assim fortalecendo a inclusão social.  A metodologia utilizada foi a Pesquisa bibliográfica executada por meio de artigos científicos, livros, casos relatados, links associados, revistas e vídeos. A atenção odontológica recebida pelas crianças e adolescentes com síndrome de Down é relacionada à orientação dos profissionais de saúde que os assistem, caracterizando um atendimento integral por parte de uma equipe de saúde. As dúvidas são frequentes. Nem todas as pessoas têm clareza do que envolve a deficiência intelectual, reflexo da falta de uma discussão mais profunda sobre o tema, desta forma é importante o uso de mecanismos próprios da cultura e da realidade social por parte dos profissionais de saúde. Uma forma de trabalhar estes aspectos é a folkcomunicação no uso da valorização da cultura e das formas de expressão.


Projeto orientado pela professora Betania Maciel da Faculdade Integrada de Pernambuco (FACIPE)´ e membro do Núcleo de Pós-Graduação (NUFA) da instituição. 

Biografia do Autor

Alexsandra Maria Moraes da Silva

Acadêmica da Faculdade Integrada de Pernambuco (FACIPE).

Júlia Borges de Moura

Acadêmica da Faculdade Integrada de Pernambuco (FACIPE).

Paloma Ingrid Souza de Oliveira

Acadêmica da Faculdade Integrada de Pernambuco (FACIPE).

Publicado
2017-04-18
Como Citar
SILVA, Alexsandra Maria Moraes da; MOURA, Júlia Borges de; OLIVEIRA, Paloma Ingrid Souza de. Inclusão de pessoas com Síndrome de Down no tratamento odontológico. Anais da Conferência Brasileira de Folkcomunicação - Folkcom, [S.l.], n. XVIII, abr. 2017. ISSN 2236-2924. Disponível em: <http://anaisfolkcom.redefolkcom.org/index.php/folkcom/article/view/93>. Acesso em: 20 set. 2017.